A maior favela do Brasil vive um clima de guerra civil. Em causa está um conflito entre grupos rivais pelo controlo das vendas de drogas, especialmente cocaína. Quase mil soldados estão a cercar a região, desde sexta-feira.