Tantos os líderes partidários como os cabeças de listas dos principais partidos candidatos às eleições europeias exerceram, logo pela manhã, o direito ao voto. Da esquerda à direita, todos apelaram a que os portugueses saíssem de casa, não só para aproveitar o dia de sol, mas também para irem votar. No entanto, a afluência às urnas, até às 12:00, era de 11,56%. Em 2014, à mesma hora, tinham votado 12,14% dos eleitores