As duas pessoas detidas pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) na operação que desmantelou em Lisboa uma rede internacional de falsificação de documentos ficaram em prisão preventiva, disse esta terça-feira à Lusa fonte daquele serviço de segurança