O governo francês devolveu quatro obras roubadas pelos nazis durante a ocupação alemã na Segunda Guerra Mundial aos herdeiros do empresário egípcio judeu Moïse Levi de Benzion.

Os quatro quadros, três conservados no Museu do Louvre e outro no Museu de Orsay, ambos em Paris, são de pequena dimensão, datam do século XIX e têm a assinatura de Georges Michel, Paul Delaroche, Auguste Hesse e Jules-Jacques Veyrassat.

Este lote de quatro peças pertence ao programa estatal Museus Nacionais de Recuperação (MNR), cujo objetivo é devolver aos seus legítimos donos os milhares de obras que os nazis saquearam.

De acordo com o Ministério da Cultura de França, as investigações realizadas sobre a origem desses quatro quadros determinaram que pertenciam a Levi de Benzion (1873, Alexandria, Egito – 1943, Roche-Canillac, França).

O colecionador e empresário comprou essas obras em 1920, tendo sido roubadas do seu palácio de la Folie em Draveil (região de Paris) pela organização nazi de apropriação de bens culturais Einsatzstab Reichsleiter Rosenberg (ERR).

Cerca de 60 mil obras e objetos recuperados na Alemanha foram devolvidos à França desde o fim da guerra, em 1945, dos quais perto de 45 mil foram entregues aos seus proprietários antes de 1950.

Entre os que não foram reclamados, grande parte foi vendida e outra (cerca de 2.000) foi deixada ao cuidado dos museus franceses devido ao seu interesse artístico.

Desde 2016, o programa MNR ajudou a restaurar 54 obras dos seus legítimos herdeiros.

/ CM