[Actualizada às 18h48]

A Polícia Judiciária realizou 30 buscas em vários gabinetes de empresas portuguesas, uma operação que constituiu 12 arguidos e levou à detenção de uma pessoa, adianta a autoridade em comunicado.

Armando Vara constituído arguido

Veja aqui a reportagem da TVI

«A investigação em curso tem como objecto a actividade de um grupo empresarial, da zona de Aveiro, que, através de um esquema organizado, terá sido beneficiado na adjudicação de concursos e consultas públicas, na área de recolha e gestão de resíduos industriais», adianta a nota.

A Galp e a EDP confirmaram a existência de recolha de informação por parte da Polícia Judiciária. No caso da Galp, a diligência incidiu sobre «um funcionário» da refinaria de Sines, enquanto, no caso da EDP, «foi apenas pedido informação sobre um processo», disseram as fontes oficiais à Lusa.

A «Operação Face Oculta» investiga um conjunto de funcionários de grandes empresas portuguesas com o alegado envolvimento de três dezenas de quadros médios e superiores em operações de favorecimento na adjudicação de obras.

Fonte da PT garante que nenhum departamento ou administrador da empresa liderada por Zeinal Bava está envolvida nesta operação policial.

No caso das buscas a empresas ligadas à REN e REFER, fonte da Judiciária garantiu que essas buscas foram realizadas a gabinetes de funcionários.

A REN confirmou esta tarde, no final da apresentação de resultados do 3º trimestre, que a empresa a visita de autoridades judiciárias, mas esclareceu que não está a ser alvo de «nenhuma investigação».
Redação / DC