Um menino de cinco anos esteve detido durante quatro horas e foi mesmo algemado num aeroporto de Washington, na sequência do decreto assinado por Donald Trump que restringe a entrada de imigrantes nos Estados Unidos. A Casa Branca diz que o menino, cidadão norte-americano e filho de mãe iraniana, constituiu um “risco para a segurança”.

Assumir que por causa do género ou da idade de alguém essa pessoa não constitui uma ameaça, seria imprudente e errado”, alegou o assessor de imprensa da Casa Branca Sean Spicer, aos jornalistas.

O menino foi um das mais de 100 pessoas detidas na sequência da ordem de Donald Trump que restringe a entrada no país de cidadãos de origem iraniana e de outros seis países.

A mãe do menino, iraniana, foi filmada no aeroporto enquanto aguardava a libertação do filho. Mas não quis falar aos jornalistas. A criança terá viajado para os Estados Unidos acompanhada por outra família da confiança da mãe. Mais tarde, o reencontro entre os dois foi também filmado por equipas de televisão. As imagens mostram longos abraços comovidos e muitos beijos, não só da mãe, mas de outras pessoas que parecem também ser da família. Depois dos abraços, a mulher canta os parabéns em inglês ao menino.

O senador democrata Chris Van Hollen escreveu no Twitter que o menino é cidadão norte-americano e que vivia com a mãe em Maryland. Van Hollen considerou “ultrajante” a detenção da criança.