O Presidente da República reiterou esta quarta-feira que o país está na fase de "transição" e pediu "paciência" e compreensão aos mais impacientes durante os próximos meses. Esta é uma posição que contraria a análise dos especialistas, que apontam para uma quarta vaga da pandemia.

"Às vezes parece que o mais difícil é a parte final de um processo", começou por referir Marcelo Rebelo de Sousa, explicando que "na economia já se constrói um tempo novo, na abertura social já se constrói, mas há ainda qualquer coisa do tempo anterior que perdura". 

Para o chefe de Estado, o país está com números que significam que o caminho que está a ser seguido é o caminho adequado: "Vacinar, vacinar, vacinar".

Temos a vacinação a avançar. Daqui a poucos meses, teremos condições para cobrir a população portuguesa. Mas temos ainda um elevado número de casos, que não se traduz em mortes, e por muito grande que seja a pressão sobre os hospitais e as unidades de cuidados intensivos, não tem nada a ver com o que tinhamos no início do ano. Esperemos que os meses até ao fim do verão sejam vividos com paciência"

Rafaela Laja