ordem de expulsão de magistrados portugueses





«Poderemos estar abertos (...) mas para que isso aconteça ainda muita água terá de correr debaixo das pontes, e muita coisa terá de ser reavaliada»


explicações dadas pelo seu homólogo timorense, Xanana Gusmão