Duas organizações ambientalistas acusam o príncipe do Liechtenstein de matar o maior urso da Roménia - e um dos maiores da União Europeia - durante uma caçada em março. 

De acordo com as organizações, o príncipe Emanuel von und zu Liechtenstein obteve uma licença especial para caçar um urso fêmea que estava a deixar um rasto de destruição em várias quintas em Ojdula, no distrito de Covasna, na Roménia.

Mas o urso que acabou por ser atingido não foi a fêmea, e sim Arthur, um urso com 17 anos, que vivia completamente isolado na floresta e que nunca se tinha aproximado de quintas.

De acordo com as ONGs, “o urso Arthur foi observado durante muitos anos por um membro da Agent Green em toda aquela área e era conhecido por ser um animal que não estava habituado à presença humana e vivia nas profundezas da floresta”.

Ficou claro que o príncipe não veio por causa dos problemas dos habitantes locais, mas sim para matar aquele urso e levar para casa o maior dos troféus”, considerou Gabriel Paun, o presidente da Agent Green.

O incidente aconteceu no dia 13 de março e está a ser investigado.

Lara Ferin