Também os administradores da TAP Fernando Santos e António Pinto vão acompanhar a saída do até ontem presidente da companhia aérea nacional, disse ainda à Agência Financeira fonte próxima do processo.



Segundo a mesma fonte, o nome de Faria de Oliveira, ex-secretário de Estado e presente na TAP desde 1999, tem sido apontado como uma possível escolha do Governo para suceder a Cardoso e Cunha. É que para além de ser um homem do PSD, Faria de Oliveira seria bem recebido pela comissão executiva, liderada por Fernando Pinto, que aceitou o convite do Executivo para se manterem em funções.

O mandato dos brasileiros termina apenas a 31 de Dezembro de 2004.

Refira-se ainda que para além de Cardoso e Cunha, Fernando Santos e António Pinto faziam ainda parte do conselho de administração da TAP o CEO Fernando Pinto e Jorge Sobral (CEO da TAP ¿ Manutenção e Engenharia), que foi substituir Faria de Oliveira, em Julho de 2003, quando este renunciou ao cargo de administrador da TAP. No entanto, na TAP SGPS, Faria de Oliveira é administrador mantém-se como administrador, a par dos outros primeiros quatro nomes.



Recorde-se que o Governo anunciou hoje, num comunicado conjunto da Presidência do Conselho de Ministros e do Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, ter acordado com o ainda presidente do conselho de administração da transportadora aérea a sua cessação de funções.

O Governo adianta, no mesmo documento, que a cessação de funções é estranha à forma como as mesmas foram exercidas, ocorrendo e justificando-se no quadro do processo de reestruturação em curso na TAP.

O Executivo sublinha ainda o reconhecimento pelas qualidades humanas e profissionais do Engº António Cardoso e Cunha e expressa público reconhecimento pelo trabalho desenvolvido" pelo administrador.

Os ministros manifestam-se ainda certos de que o País possa continuar a contar com a sua disponibilidade e o Governo a poder solicitar-lhe tais colaborações.