1 - periodicamente se devem prestar contas aos cidadãos. Como nem todos somos especializados em Economia e Finanças, mas não somos burros, não bastam o Relatório Trimestral do Banco de Portugal e os relatórios do FMI e da OCDE. Essas informações devem ser dadas de forma a que todos as entendam porque, citando Manuela Ferreira Leite, "quem paga é quem manda".

2 - Martelar números, esconder "buracos", e utilizar dinheiros públicos para fins diferentes daqueles para que foram consignados, deve ser crime público, contra o Estado e punido com a pena máxima. Não valem as faltas de provas, porque todos os papeis têm tem assinatura e despacho autorizador.
Portugal Diário / Isabel Vasconcelos