O presidente russo, Vladimir Putin, apelou esta sexta-feira a que se repense o papel do dólar no sistema financeiro mundial, dizendo que a moeda norte-americana se tornou “um instrumento de pressão” de Washington e está atualmente em declínio.

Putin considera que “a confiança no dólar está a cair”, mas a Rússia continua a estar fortemente dependente da moeda norte-americana para o seu comércio externo, num momento de fortes tensões políticas com Washington.

É evidente que estas mudanças profundas requerem a adaptação dos organismos financeiros internacionais, que devem repensar o papel do dólar, que deixou de ser uma moeda de reserva para se transformar num instrumento de pressão do seu país sobre o resto do mundo”, afirmou o Presidente russo, à margem de um fórum económico que decorre em São Petersburgo.

O clima de tensão entre a Rússia e os EUA aumentou de tom, depois de o Governo do Presidente norte-americano Donald Trump ter imposto drásticas sanções económicas a Moscovo.

A Rússia continua dependente da moeda norte-americana para o comércio, nomeadamente no setor dos hidrocarbonetos, que têm um forte peso na sua economia.

Apesar disso, há vários anos que o Governo russo procura diminuir a dependência do dólar, procurando usar moedas locais nas transações com outros importantes parceiros, como é o caso da China.

De acordo com dados do banco central russo, entre 2013 e 2017, a participação dos pagamentos em dólares norte-americanos nas exportações de bens e serviços caiu de 80% para 68%.

Ao mesmo tempo, a participação do euro subiu de 9% para 16% e a do rublo de 10% para 14%.

Para as importações, o movimento é menos forte, mas a presença do dólar passou de 41% para 36%.

Em outubro, o vice-primeiro-ministro, russo Yury Borissov, anunciou que a Índia pagaria em rublos, a moeda russa, a compra de sistemas antiaéreos russos S-400.