Os produtores da série "Os Simpsons" anunciaram que vão retirar de todas as plataformas o episódio "Stark Raving Dad", que contou a participação de Michael Jackson, através da dobragem de uma das personagens. Em causa está o polémico documentário "Leaving Neverland", que revela que o cantor terá abusado sexualmente de crianças.

Parece claramente a única escolha a ser feita", afirmou o produtor James L. Brooks, em declarações ao "The Wall Street Journal".

Segundo o produtor, a decisão foi tomada em conjunto com os outros produtores da série, Matt Groening e Al Jean. James L. Brooks disse ainda que, inicialmente, não acreditava nas acusações que eram feitas a Michael Jackson, mas que "o documentário mostrou evidências do comportamento monstruoso" do cantor.

Michael Jackson participou num episódio de "Os Simpsons" em 1991, durante a terceira temporada da série. Nessa altura, o cantor fez a dobragem de uma personagem que estava internada num hospital psquiátrico e que acreditava que era uma estrela pop.

O polémico documentário estreeou no dia 3 de março nos Estados Unidos, através da HBO, mas, semanas antes, já tinha sido divulgado o contéudo que chocou o mundo. O filme centra-se no testemunho de dois homens, Wade Robson e James Safechuck, que contaram, numa entrevista à BBC, que foram abusados sexualmente pela estrela pop quando eram crianças.

"Leaving Nerverland" é realizado pelo britânico Dan Reed. Quanto ao título escolhido, sabe-se que "Neverland" é o nome do rancho do cantor, a cerca de 200 quilómetros de Los Angeles, onde os abusos terão ocorrido.

Depois da exibição do documentário, houve também algumas estações de rádio de países como o Canadá e a Holanda que decidiram deixar de transmitir as músicas de Michael Jackson.

A família do músico diz que não há quaisquer “provas” que confirmem as acusações contra o cantor e os gestores do seu património - mãe, filhos e instituições de caridade - processaram a HBO, a quem exigem uma indemnização de 100 milhões de dólares pelo julgamento em praça pública do cantor.