Uma mulher de 30 anos, residente no Texas, nos Estados Unidos, foi presa na sexta-feira depois de ser acusada de invasão criminosa e adulteração de identidade ao fazer-se passar pela filha, de 13 anos, numa escola. A americana Casey Garcia vestiu-se como a sua filha adolescente e assim ficou durante um dia inteiro.

De acordo com a imprensa, o seu objetivo era provar que o sistema de ensino era inseguro ao ponto de não perceber que a verdadeira aluna não estava presente.

O vídeo que foi publicado no Youtube, foi publicado pela mãe através do seu telemóvel. As imagens mostram Casey a percorrer os corredores da escola - onde ainda é chamada à atenção por um professor devido ao uso do telemóvel - e depois senta-se numa cadeira, já dentro da sala de aula, onde se mostra a fazer as atividades letivas. 

A escola estava tão preocupada com o meu telemóvel que nem identificaram quem eu era", disse a mulher de 30 anos.

 

Isto é sobre os nossos filhos e a segurança deles. Estou a tentar evitar outro tiroteio em massa", adiantou Casey, lembrando um atentado recente numa escola do Tennessee, que ocorreu no passado mês de abril. 

Casey acabou por ser descoberta por uma aluna, mas realçou que nenhum professor percebeu que ela não era a aluna correta.

Veja o vídeo: 

Lara Ferin