Mário Soares é, provavelmente, o único político português sobre o qual todos os portugueses têm opinião, seja positiva ou negativa.

O seu longo percurso político fê-lo ser ator principal em múltiplos acontecimentos marcantes dos nossos séculos XX e XXI. 

Do 25 de Abril até à adesão à Comunidade Europeia, passando pela oposição à Troika e inspirando, mesmo, o atual modelo de governação da “geringonça”.

Se todos têm uma opinião sobre Mário Soares é também porque todos nós temos a ideia de que a sua atuação teve algum impacto no nosso quotidiano. Talvez seja esse o motivo pelo qual Mário Soares é tão referido nas redes sociais.

No dia 7 de janeiro registaram-se mais de 68 mil tweets com referência à expressão "Mário Soares". Apesar de não se tratar da rede social com maior penetração em Portugal, o aumento é astronómico quando comparado face à média diária de 507 tweets para os 37 dias anteriores.

Ao início do cortejo fúnebre de Mário Soares no dia 9 de janeiro, as opiniões favoráveis nas redes sociais atingiam 36%, enquanto as desfavoráveis eram, apenas, 18%. 

A opinião relativamente a Mário Soares não foi constante ao longo dos meses de janeiro de 2017 e dezembro de 2016 nas redes sociais. 

As opiniões desfavoráveis foram sempre superiores até à data da sua morte, momento em que se começou a registar a predominância das opiniões favoráveis.

Este será o seu último combate político, ou seja, como será lembrado o homem político para a posteridade e, a fazer jus nos dados, também aqui o combate de Mário Soares foi difícil mas no final vitorioso. 

Ficha técnica:

Neste trabalho foi seguida a metodologia proposta pelo Pew Research na análise de enquadramentos de discussão nas redes sociais através da plataforma de codificação da Crimson-Hexagon. Foram consideradas as redes Twitter, Facebook, Tumblr, Google+ e Blogues. A análise do sentimento considera as categorias ‘positivo’, ‘negativo’, ‘neutro’ ou ‘fora de âmbito’. Informação detalhada sobre o algoritmo pode ser consultada aqui.