O trânsito está cortado desde terça-feira, nos dois sentidos, na maginal do Porto, junto à Ponte da Arrábida, depois de "vários pedaços provenientes da estrutura da ponte terem caído na via pública sem causar danos ou vítimas. Por precaução", informou a autarquia.

Por precaução, apenas após a intervenção da Infraestruturas de Portugal, dona da ponte, poderá ser reposta a circulação".

A Câmara do Porto refere ainda que os serviços de proteção civil municipais atuaram de imediato, "captando imagens com um drone e determinando a interdição da via", tendo pedido a intervenção da Infraestruturas de Portugal, que é responsável pela manutenção da ponte.


 A pronta intervenção dos serviços da Câmara” evitou “eventuais danos em viaturas ou pessoais”, concluiu.

A Ponte da Arrábida, Monumento Nacional, é consideradas uma obra de complexa engenharia que deu ao Porto um novo centro na Boavista.

Infraestruturas de Portugal garante que a "segurança não está em causa"

A segurança da utilização da Ponte da Arrábida “não está em causa”, garantiu esta quarta-feira fonte da Infraestruturas de Portugal (IP) , referindo que os pedaços que se desprenderam da estrutura e caíram na marginal do Porto são “argamassa de revestimento”.

Segundo a fonte da IP, a argamassa de revestimento que se desprendeu da Ponte da Arrábida “não afeta em nada a estrutura”.

A IP, em coordenação com a autarquia, vai definir qual o melhor momento” para intervir na Ponte, sendo que “qualquer intervenção vai obrigar a condicionar o trânsito”, acrescentou.

Adiantou ainda que “a Proteção Civil Municipal e a IP reúnem esta manhã”, pelo que remete mais informações para o final da reunião.

A intervenção obrigará a colocar no tabuleiro da Ponte da Arrábida “um camião com uma estrutura com um braço”, de modo a aceder às zonas afetadas (no arco), o que implicará condicionar o trânsito na via.