O embaixador da Áustria em Lisboa avançou esta segunda-feira à Lusa que Viena está a fazer um levantamento junto das várias províncias daquele país para saber quantas camas de cuidados intensivos têm disponíveis para receber doentes covid-19 de Portugal.

O Ministério da Saúde austríaco está a falar com as várias províncias para saber quantas camas e em quais hospitais essas camas estão disponíveis. Um levantamento que será feito muito rapidamente, entre esta segunda-feira e amanhã [terça-feira]”, afirmou, em declarações à Lusa, o embaixador Robert Zischg, um dia depois do chanceler austríaco, Sebastian Kurz, ter anunciado, através da rede social Twitter, que a Áustria tinha oferecido este apoio a Portugal, num sinal de “solidariedade europeia”.

O representante diplomático austríaco em Lisboa disse que Viena ainda não sabe, neste momento, quantos pacientes covid-19 poderão vir a ser transferidos de Portugal para a Áustria e quando o procedimento poderá ser levado a cabo, um levantamento que, segundo frisou, estará a ser feito pelas autoridades portuguesas competentes.

Robert Zischg referiu que a oferta de apoio austríaca – que só visa a transferência de doentes covid-19 que estejam em cuidados intensivos – é possível porque a pressão sobre estes serviços na Áustria desacelerou, depois do país ter tido cerca de 700 pacientes internados neste tipo de unidades.

O nosso número de pacientes nos cuidados intensivos baixou felizmente, situa-se agora um pouco abaixo dos 300 doentes. Assim pudemos colocar [estes serviços] à disposição de Portugal, para aliviar um pouco a pressão”, prosseguiu o embaixador da Áustria em Portugal desde janeiro de 2018.

Apesar deste procedimento implicar uma logística difícil, o representante diplomático frisou que a Áustria já tem conhecimento e experiência adquirida nesta matéria, lembrando que o país já recebeu doentes de outros países europeus, como por exemplo de França.

Já temos essa experiência. Já existe uma rotina. Após a chegada à Áustria, já existe uma rotina para o transporte e para a distribuição dos doentes para os hospitais especializados. E depois já nos hospitais são acionados os procedimentos normais”, referiu.

E concluiu: “A nossa intenção é aliviar a pressão. É um problema europeu. E, neste momento, a Áustria está numa situação um pouco mais aliviada, depois de seis semanas de confinamento total e temos camas disponíveis para oferecer”.

O anúncio feito no domingo por Sebastian Kurz foi divulgado depois do chanceler austríaco ter mantido uma conversa telefónica com o primeiro-ministro português, António Costa.

A pandemia da covid-19 representa enormes desafios para todos os países europeus. É uma exigência de solidariedade europeia ajudar rapidamente e sem burocracia para salvar vidas", escreveu, no domingo, Sebastian Kurz no Twitter.

/ NM