O helicóptero experimental da NASA ergueu-se nos céus de Marte esta segunda-feira, naquele que é o primeiro voo remotamente controlado no planeta vermelho.

O helicóptero Ingenuity, que pesa 1.8 quilogramas, alcançou um triunfo que muitos relacionam com os melhores momentos dos Irmãos Wright. Uma ligação que também é táctil, já que a aeronave transporta consigo um pedaço de tecido do avião Wright Flyer, de 1903.

“Podemos agora afirmar que a humanidade pilotou um helicóptero noutro planeta”, disse a chefia do projeto.

Veja as imagens do feito.

 

Controladores de voo na base da agência espacial na Califórnia confirmaram o breve voo do Ingenuity, após receberem  dados através do rover Perseverance, que ficou de vigia, a mais de 65 metros de distância. 

O voo inaugural estava previsto para a semana passada, com a NASA a ter decidido adiar a ocasião devido a um pequeno erro no software da aeronave.

Controladores de voo na base da agência espacial na Califórnia confirmaram o breve voo do Ingenuity, após receberem  dados através do rover Perseverance, que ficou de vigia, a mais de 65 metros de distância. 

O voo inaugural estava previsto para a semana passada, mas a NASA foi forçada a adiar a ocasião devido a um pequeno erro no software do Ingenuity.

Por causa da grande distância que separa o nosso planeta de Marte, a agência espacial norte-americana teve de esperar cerca de três horas para saber se a missão tinha sido bem sucedida.

No ar, o helicóptero capturou esta imagem, divulgada pela NASA.

 

Um dos principais objetivos da missão do Perseverance em Marte é a astrobiologia, incluindo a busca por sinais de vida microbiana antiga. O rover Preserverence catalogará a geologia do planeta e o clima anterior, abrindo o caminho para a exploração humana do Planeta Vermelho e será a primeira missão a coleccionar e armazenar rochas marcianas .

As missões subsequentes da NASA, em cooperação com a ESA (Agência Espacial Européia), vão enviar aeronaves a Marte para adquirir essas amostras da superfície e devolvê-las à Terra, para uma análise aprofundada.

 

 

O sucesso da missão dependeu também da força dos rotores do Ingenuity, que teve de girar com a potência máxima para conseguir penetrar a atmosfera de Marte. 

Foram cerca de sete anos de trabalho por parte da equipa de cientistas da NASA e o resultado foi visto em segundos. Entre vinte a trinta segundos ditaram (mais) um passo histórico para a humanidade.