Um incêndio com apenas uma frente ativa está a lavrar em Brito, Guimarães, desde as 19:37 desta quarta-feira, confirmou fonte do Centro Distrital de Operações de Socorro (CDOS) à TVI.

Os bombeiros já conseguiram extinguir uma frente, mas ainda lutam perante outra, que tem como entrave o "declive do terreno" e a "falta de acessos", revelou o comandante Bento Marques, dos Bombeiros de Guimarães, à TVI.

O fogo lavra em mato e eucalipto e "não há pontos sensíveis", embora tenha sido montado um perímetro de segurança para salvaguardar qualquer avanço do fogo em direção a uma casa e à Capela do Monte de São Miguel. Ainda assim, as testemunhas adiantaram à TVI que as chamas estiveram a cerca de 100 metros de casas. 

O comandante dos Bombeiros disse que espera extinguir o incêndio em "duas horas", beneficiando do facto de não haver vento, algo que dificultou ao final da tarde.

No local estão 39 bombeiros apoiados por nove viaturas, das corporações das Taipas, Guimarães, Vizela, Riba D'Ave e de Famalicão. 

66 bombeiros combatem fogo em Vila Real

No distrito de Vila Real, na localidade de Alvite, Ribeira de Pena, há também um incêndio ativo, que deflagrou às 17:27. O fogo chegou a ter duas frentes ativas, mas os bombeiros já conseguiram dominar uma das frentes. Os difíceis acessos estão a dificultar o trabalho aos bombeiros. No terreno, estão 66 homens, apoiados por 16 viaturas. 

De acordo com o comandante Jorge Campos, dos Bombeiros Voluntários de Cerva, pelas 23:30 o fogo, que lavra nos lugares de Outeirinho e Seixinhos, estava a ser combatido por cerca de 70 homens, apoiados por 17 veículos.

O alerta para o fogo, que “esteve perto de casas, mas conseguiu resolver-se a situação”, foi dado pelas 17:30.

Segundo o comandante Jorge Campos, “para chegar à frente de fogo os acessos são difíceis e o vento está a dificultar”, mas “o combate às chamas está a correr bem”.