Espanha admite que, a manterem-se os números baixos em relação à pandemia, algumas medidas restritivas poderão começar a ser aliviadas dentro de um mês, nomeadamente o uso obrigatório de máscaras no exterior.

Fernando Simón, epidemiologista e diretor do Centro de Coordenação de Alertas de Saúde e Emergências do Ministério da Saúde espanhol, admitiu, esta terça-feira, que a redução do uso de máscaras em espaços exteriores “poderá vir a ser possível” muito em breve.

A declaração de Simón surge numa altura em que o país vizinho regista 151 casos por cada 100 mil habitantes nos últimos 14 dias, estando perto de sair da fase de “risco alto” e entrar na de “risco médio” (incidência de casos igual ou inferior a 150).

Sobre as máscaras, Simón, citado pelo El Mundo, afirmou que “não é bom anunciar datas”, mas que, “dentro de um mês, Espanha estará numa posição favorável” para relaxar algumas restrições.

Contudo, o epidemiologista deixou um alerta: “Não podemos garantir que as grandes aglomerações de pessoas não vão afetar a evolução da pandemia”.

Simón mencionou, de igual modo, a possibilidade de algumas regiões autónomas levantarem as suas restrições um pouco mais cedo que outras, dado a diferença da incidência de casos. A Comunidade de Madrid, por exemplo, regista 239,34 casos por 100 mil habitantes nos últimos 15 dias, ao passo que regiões como Ceuta e a Comunidade Valenciana registam valores abaixo dos 30 casos.