O número de divórcios na China caiu 70% no primeiro trimestre deste ano, face a igual período do ano anterior, refere o The Guardian.

De acordo com dados do governo chinês, foram registados cerca de 296 mil divórcios no país até março, uma notória quebra face ao milhão e 50 mil de janeiro a março de 2020.

Na origem desta quebra está uma controversa lei, que obriga o casal que pede o divórcio a esperar por um período de 30 dias antes que se formalize. A lei requere ainda que o casal tenha de frequentar duas consultas, entre 30 a 60 dias depois de se “candidatar” ao divórcio, sob pena de o mesmo não se efetivar.

A lei terá sido a forma do governo chinês responder ao aumento dos divórcios que se vinha a verificar, assim como à diminuição dos casamentos e da natalidade.

A notícia da entrada em vigor desta lei atraiu fortes críticas, com muitos chineses a manifestarem o seu desagrado nas redes sociais do país.