Podia ter acabado mal, mas esta história tem um final feliz. No estado australiano de Queensland, um piloto adormeceu profundamente durante 40 minutos e passou pelo aeroporto onde devia ter aterrado, em Redcliffe. A situação só foi detetata quando o avião já estava a 100 quilómetros do destino.

O incidente aconteceu em julho do ano passado, mas agora um novo relatório, divulgado pelo Departamento de Investigação de Acidentes Aéreos australiano (ATSB), dá conta do motivo pelo qual o piloto adormeceu em pleno voo: fadiga e hipoxia.

O ATSB conclui que, provavelmente, o piloto andava muito cansado devido às poucas horas de sono da noite anterior e antes do incidente (...) Isso provavelmente exacerbou a fadiga existente do piloto e contribuiu para que ele adormecesse", mostra o relatório.

No dia em que tudo aconteceu, um outro avião tentou chamar a atenção da aeronave perdida, que voava ainda 300 metros acima do que aquilo que devia. 

De acordo com o documento, a comunicação com o Cessna 208B foi restabelecida apenas 40 minutos depois e que, quando se apercebeu, o piloto queria regressar a Redcliffe, mas foi forçado a fazer uma aterragem de emergência em Gold Coast.

Quando acordou, o piloto estava confuso e não tinha percebido o quão longe estava do percurso que era suposto e nem sequer se lembrava dos avisos da torre de controlo", diz ainda o relatório.

Do incidente não resultou qualquer ferido e os investigadores adiantaram ainda que o piloto não estava sob qualquer efeito de álcool ou drogas.

Lara Ferin