Edir Macedo, líder e fundador da Igreja Universal do Reino de Deus, terá gasto o dinheiro da igreja em bens de luxo pessoais durante anos.

Uma investigação da TVI, da autoria de Alexandra Borges, teve acesso aos extratos bancários do cartão de crédito de Edir Macedo e da sua mulher. A TVI também obteve testemunhos destes desvios de dinheiro.

O dinheiro era desviado da igreja para pagar falsas gratificações a altos bispos de Portugal e depois era gasto pela família Macedo em joias, roupas caras e no condomínio do seu apartamento em Miami, nos Estados Unidos.

O esquema era feito através da conta do bispo máximo de Portugal, onde a IURD depositou mais de um milhão de euros em salários e falsas gratificações. Depois, o bispo Macedo e a mulher usavam cartões de crédito dessa conta para gastar o dinheiro pelo mundo em bens de luxo.

O Ministério Público já está a investigar este desvio de dinheiro das ofertas dos membros da Igreja Universal em Portugal.

Em Portugal, a IURD declara 42 milhões de euros por ano, isto é, 42 milhões de euros livres de impostos, além de ter direito a benefícios fiscais.