Fernando Medina reagiu à candidatura de Carlos Moedas pelo PSD à Câmara Municipal de Lisboa, esta quinta-feira, na TVI24.

O atual presidente da Autarquia considerou ainda que o PSD tem tido, nos últimos anos, "um problema de orientação política relativamente a áreas políticas fundamentais" nos grandes centros urbanos, como a questão do apoio aos idosos ou a dos transportes públicos.

Há uma incompreensão das especificidades das políticas das necessidades de quem reside nos grandes centros urbanos", referiu Medina.

Questionado sobre uma eventual recandidatura, o socialista afirmou que ainda "é cedo" e que, neste momento, está concentrado na governação da cidade, na resposta à pandemia e no acelerar do processo da vacinação contra a covid-19.

Acredito que, a seu tempo, o debate autárquico se fará. Posso dizer é que Carlos Moedas é uma pessoa com quem tenho uma relação afável", disse o socialista.

Veja também: CARLOS MOEDAS VAI SER O CANDIDATO DO PSD EM LISBOA

Engenheiro civil e economista, Carlos Moedas tem 50 anos e, além de ter sido secretário de Estado Adjunto de Passos Coelho, foi comissário europeu. Atualmente integra o Conselho de Administração da Fundação Calouste Gulbenkian. 

Também Rui Moreira analisou a candidatura de Carlos Moedas à cidade de Lisboa, considerando que esta "enriquece a democracia".

O Professor Carlos Moedas é um português invulgar e é bom que essas pessoas não abandonam a política", destacou o autarca do Porto.

 

Já Manuela Ferreira Leite vê a candidatura do social-democrata com "um enorme orgulho" e "uma revolução".

O engenheiro Carlos Moedas é uma jóia e uma pérola no PSD, mas também no país. Tem um currículo absolutamente invejável", apontou.

Rafaela Laja