Cinco homens foram detidos por suspeita de integrarem uma organização criminosa dedicada à produção e exportação de canábis, informou esta sexta-feira a Polícia Judiciária (PJ).

Em comunicado, a PJ adianta que a operação “Flores do Oriente”, desencadeada nos últimos dias através da Unidade Nacional de Contraterrorismo e do Laboratório de Polícia Científica, visou desmantelar dois locais de produção ilegal de elevadas quantidades de canábis.

A operação “Flores do Oriente” realizou-se no quadro de investigação iniciada este ano, após deteção e desmantelamento de um outro local de produção de canábis.

De acordo com a PJ, os três locais de produção funcionavam no interior de armazéns de grandes dimensões, localizados na região da Grande Lisboa, todos equipados com sofisticados sistemas de controlo de temperatura, humidade, fertilização, rega, ventilação e extração forçada de ar com filtragem de odores.

Durante a operação, foram apreendidas 6.667 plantas de canábis sativa L em diferentes estados de crescimento, divididas em estufas autonomizadas.

A canábis produzida continha um elevado teor de tetrahidrocanabinol (THC), destinando-se a ser exportada, maioritariamente para países do norte da Europa”, destaca a PJ.

Foi também apreendida uma considerável quantidade canábis já pronta para expedição, embalada a vácuo, bem como cerca de 53 mil euros em dinheiro.

Os detidos, com idades entre os 21 e 58 anos e de nacionalidade estrangeira, vão ser presentes à autoridade judiciária para primeiro interrogatório judicial e aplicação das medidas de coação.

. / CE