Os Bombeiros Sapadores de Braga (BSB) salvaram, esta segunda-feira, uma cadela de caça da raça podengo, que esteve cerca de 24 horas presa no fundo de um poço com cerca de 20 metros de profundidade.

O nosso turno começa às 08:00. O alerta já tinha sido dado na noite anterior, mas trata-se de um local de difícil acesso e, durante a noite, foi impossível encetar manobras com vista ao salvamento. Além disso, o poço tinha uma pedra de 600 quilos em cima. Não estava totalmente coberto, mas tinha aquela pedra em cima, que nos impedia de descer”, conta Luís Oliveira, chefe de serviço dos BSB e responsável pelo salvamento do animal, em declarações telefónicas à TVI24.

Esta manhã, os bombeiros receberam novo apelo do dono de “Lili”, assim se chama a protagonista desta história, e fizeram uma tentativa para salvar a cadela.

Enviámos uma retroescavadora, para remover a pedra e usámos um gancho e sistema de apoio respiratório para descermos ao fundo do poço. É um salvamento que acarreta alguns riscos, porque em poços desta profundidade há o perigo de haver gazes acumulados no fundo. Ainda por cima, o poço tinha alguma água acumulada, com algum lodo, o que aumentava ainda mais esse perigo.”

Salvar “Lili” não foi um processo fácil. O poço fica situado “numa zona de minas adjacentes” e a cadela assustou-se com o barulho dos aparelhos de apoio respiratório e custou a “dar a mão” ao chefe Luís Oliveira.

Depois, quando a agarrei, nunca deixou de olhar para o cimo do poço. Quando chegou cá acima e se sentiu em segurança, já me começou a mostrar os dentitos, mas nada de especial. Afinal de contas, é um animal, não é?”, conta Luís Oliveira, que confessa a “enorme satisfação” por ter ajudado a levar a cabo com sucesso esta operação.

Em declarações ao Diário do Minho, o dono da “Lili”, Humberto Ribeiro, contou que a cadela se perdeu, quando andava à caça no Monte das Caldas, freguesia de Sequeira.

Fui com amigos procurar a cadela. Conseguimos localizá-la, já na noite de ontem, num poço”, relata, sublinhando que os BSB foram “incansáveis” na missão de salvar “Lili”.

“Lili” foi retirada do poço pouco antes do meio dia desta segunda-feira, cerca de 24 horas depois de se perder do dono.