Passaram 740 dias. Cristina Ferreira regressou este domingo à TVI, mas sem revelar quando volta aos ecrãs. Está "quase, quase, quase", garante. Contudo, antes desse dia chegar há um compromisso inadiável ao qual quer comparecer. Não de agenda, mas com a vida.

Antes de eu voltar à antena há uma coisa que me falta fazer. Fechar o 'Você na TV' na dupla que toda a gente conheceu. Não há acasos e o 'Vôce na TV' nunca trocou o nome, mesmo na minha ausência", afirmou, esta noite, na grande entrevista no Jornal das 8. 

O já famoso "Dia de Cristina" estreia logo a seguir. Vaga, mas ambiciosa, a apresentadora revelou a sinópse: "o 'Dia de Cristina' é tudo o que a Cristina quiser”. Ainda que enigmática, divulgou mais alguns detalhes: o programa só se vai realizar uma vez por semana, não se sabe nunca o dia, vai começar cedo e acabar tarde.

Disse ainda que vai "iluminar pessoas", porque gosta de o fazer. Cristina não se deixa acomodar com o que não a faz feliz ou não a preenche. Talvez por isso mesmo, se tenha sentido "emigrante" quando deixou a sua casa, a TVI, para ir viver numa outra, ainda que temporariamente.

Eu vou-te dizer que me senti emigrante. Eu sabia que voltava. Eu saí a saber que voltava, não sabia era quando, nem sabia em que moldes é que eu iria voltar. Eu senti-me emigrante neste sentido que é, fui à procura de alguma coisa mais, talvez de melhores condições, talvez de um mundo novo, mas depois faltavam-me as pessoas. Como quando há aquelas saudades de casa, as saudades daquelas pessoas que estão à nossa espera, e com quem tu continuas a conversar, e com quem tu continuas a almoçar. Essas pessoas faziam-me falta. E quando surgiu esta oportunidade, eu não pensei duas vezes”.

A agora Diretora de Entretenimento e Ficção admitiu que gostou de ganhar, mas que a TVI sempre foi a sua casa e nunca se sentiu feliz por a ver perder.

Nós somos a televisão da família”, disse ao lembrar que a TVI é uma estação que existe há muitos anos, com muita gente e que está agora em fase de mudança e de renovação.

Sobre a polémica saída da SIC, Cristina esclareceu que sempre foi bem tratada, mas que o projeto pelo qual correu atrás, acabou por não ser como tinha imaginado. Rompeu com um contrato que ia a meio, saiu de consciência completamente tranquila e o resto, se for o caso, resolver-se-á em tribunal, assegurou. 

Eu não tenho nada a dizer da SIC. Eu enquanto lá estive trataram-me muito bem e eu fui muito feliz na SIC e houve pessoas que, de alguma forma, me vão estar presentes ao longo da vida. Agora, há um projeto para o qual eu fui, que acabou por não ser exatamente como eu o tinha imaginado. Eu costumo dizer que ‘a minha Sic foi o Programa da Cristina". 

 

Sei que, enquanto lá estive, dei o melhor de mim. Dei tudo, mas tudo, à SIC, mas a partir do momento em que me surgiu esta oportunidade, e nós vivendo em liberdade, cada um pode fazer as suas escolhas”, acrescentou. 

Explicou que foi demonstrando ao longo de várias conversas que tinha intenções de não levar o contrato até ao fim, mas que isso não invalida o facto de a SIC ter sido apanhada de surpresa com a decisão.

20 milhões de euros não me tiram o sonho, até porque isso é um número que não tem qualquer fundamento”.

A nova acionista admitiu que investiu as suas poupanças na compra de 2,5% das ações da Media Capital, com o objetivo de voltar a colocar a TVI no sítio “onde ela vai estar”.

Este é o meu projeto final profissional. Eu não vou para mais lado nenhum. É aqui que eu vou ficar até ao fim dos meus dias e acho que comprar uma percentagem desta casa diz isso mesmo”. 

Cristina Ferreira regressou à TVI. Setembro é hoje e a mudança já começou. 

Cláudia Évora