Os alunos da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (FLUL) lançaram uma petição pedindo melhores condições de segurança na instituição de ensino, alegando que as medidas tomadas no âmbito da covid-19 trouxeram desorganização e descontentamento aos estudantes. 

Em comunicado enviado à imprensa, os alunos dizem que "desde o início do ano letivo se têm feito tentativas de estabelecer diálogo com as várias entidades competentes, Conselho Pedagógico, diretor, Associação de Estudantes, a fim de ver melhoradas as más condições de ensino. Apenas a Associação de Estudantes ofereceu respostas, procurando também alcançar um acordo com a direcção da FLUL, sem sucesso", sublinham. 

Os estudantes dizem que o regime misto de ensino presencial e online que foi adotado devido à pandemia de covid-19 "não resulta", "visto que existem alunos a ter aulas presenciais intercaladas com aulas online, sem possibilidade de se deslocarem para casa para poderem assistir fora da faculdade. Em vez de reduzir o número de pessoas nas instalações, este regime faz com que aumente, havendo alunos a assistir a aulas online nos corredores ou nas pouquíssimas salas designadas para o efeito, ou mesmo nos transportes públicos". 

Denunciam mesmo que a "desorganização extrema" já levou a que alunos fossem obrigados a terminar testes sentados no chão de corredores, sem respeito pela distância de segurança. E dizem ainda que os alunos de risco são "gravemente prejudicados" pela impossibilidade de se deslocarem à faculdade, uma vez que "não lhes é garantido o devido acompanhamento".

Na mesma nota, os alunos da FLUL referem ainda que o chamado Pavilhão Novo, edifício adjacente ao edifício principal da Faculdade, "encontra-se sem as adequadas condições para manter o seu normal funcionamento. Existem paredes e tetos cheios de fissuras, uma escora numa ombreira de uma porta, buracos no chão e no teto, cogumelos a nascer do chão e chuva a cair dentro das salas, fruto de diversas infiltrações". 

Os estudantes garantem ainda que a indicação da direção da Faculdade é de que os casos de covid-19 sejam apenas comunicados aos professores e não aos restantes alunos.

Os alunos não estão a ser informados de novos casos de covid-19 por parte da Faculdade, vendo-se eles próprios obrigados a comunicar aos colegas se ficarem infetados", frisam. 

Os alunos pedem, assim, a não obrigatoriedade do sistema misto de ensino, não pretendendo abdicar do ensino presencial mas garantindo que os estudantes possam assistir em modo remoto, e testes presenciais mas em turnos devidamente planeados e com número reduzido de alunos. Pedem também "que seja dada aos professores mais flexibilidade nos métodos de ensino, de modo a poderem adequá-los às circunstâncias atuais" e que sejam encerradas as salas do Pavilhão Novo que não estejam em condições de ser usadas, solicitando igualmente que os casos de covid-19 sejam comunicados à comunidade académica.

Não pode caber apenas aos alunos esta responsabilidade, e muito menos devem estes ser advertidos no sentido de não alertarem os colegas", concluem. 

Bárbara Cruz