O ministro dos Negócios estrangeiros do Irão afirmou que Teerão está preparado para receber qualquer medida baseada na boa vontade para salvaguardar o acordo nuclear de 2015. Mas avisou que caso sejam aplicadas sanções por parte da Europa, a resposta iraniana será "séria e forte". 

Esta resposta iraniana surge na sequência de um comunicado conjunto entre os ministros dos Negócios estrangeiros da Alemanha, França e Reino Unido sobre o acordo nuclear assinado com o Irão.

No comunicado, estes países europeus anunciaram que vão acionar o mecanismo de resolução de conflitos do JCPoA (Plano de Ação Conjunto Global, de forma comum chamado de acordo nuclear), o que abre portas à aplicação de sanções económicas sobre o Irão, levantadas depois da assinatura do documento em 2015.

O acordo de Viena foi fragilizado com a saída dos Estados Unidos, de Donald Trump, em maio de 2018, e pela imposição de sanções contra o Irão.

O restabelecimento das sanções norte-americanas atingiu a economia iraniana, provocando uma recessão.

Para continuar a cumprir o acordo, o Irão exige dos parceiros, e sobretudo dos países europeus, a tomada de medidas eficazes que possam garantir os interesses de Teerão.