Portugal voltou a registar um novo recorde de casos diários de covid-19, com mais 10.176 casos, e ainda um novo máximo de óbitos, 118, de acordo com o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

É o terceiro dia consecutivo com recorde de casos em Portugal desde o início da pandemia, depois dos 9.927 contabilizados na quinta-feira e dos 10.027 na quarta-feira.

Pela primeira vez, o número de óbitos passou a barreira dos 100, depois dos 98 óbitos registados a 13 de dezembro.

A região de Lisboa e Vale do Tejo é a mais afetada nos números de hoje, com cerca de 42% dos novos casos (4.291) e 37% das mortes (44).

Num dia de máximos, de referir que também nunca houve tantos doentes hospitalizados como agora, superando os 3.332 de 9 de dezembro.

Nas últimas 24 horas, foram internados mais 118 doentes, para um total de 3.451, e 22 deram entrada nos cuidados intensivos, totalizando agora 536 naquela unidade.

Portugal tem, neste momento, perto de 99.000 casos ativos (mais 5.578) e quase 110.000 pessoas em contactos de vigilância com as autoridades de saúde (5.390)

Desde o início da pandemia já morreram 7.590 doentes dos 466.709 infetados. Recuperaram da doença 360.181 pessoas, mais 4.480 que no dia anterior.

Boletim da DGS - 8 de janeiro by TVI24

 

Idades mais afetadas

Os casos confirmados distribuem-se por todas as faixas etárias, situando-se entre os 20 e os 59 anos o maior número de infeções.

Pelo menos 209.840 homens e 256.711 mulheres foram já infetadas, sendo que há 158 casos de sexo desconhecido, que se encontram sob investigação, uma vez que estes dados não são fornecidos de forma automática.

Do total de vítimas mortais, 3.956 eram homens e 3.634 mulheres.

O maior número de óbitos continua a concentrar-se nos idosos com mais de 80 anos, seguido das pessoas com idade entre os 70 e os 79 anos.

Catarina Machado