Os três Kamov que estão parados em Macedo de Cavaleiros, e que deviam estar aptos a voar a 1 de julho, devem receber autorização da Autoridade Nacional de Aviação Civil (ANAC) para se juntarem ao combate aos incêndios entre hoje e amanhã.

Fonte da ANAC revelou à TVI que a documentação em falta chegou durante o dia de hoje. Depois de realizada a necessária vistoria para averigar se estão reunidas as condições de segurança, os três Kamov deverão receber autorização para que possam ser utilizados no dispositivo de combate aos incêndios.

A HeliPortugal, empresa com quem o Estado contratou a utilização dos três Kamovs em questão, diz que a culpa é da ANAC, que há mais de um mês atrasa o processo de autorização. Por outro lado, a ANAC descarta responsabilidades e acrescenta que a documentação em falta só foi entregue esta segunda-feira

Estes três helicópteros deviam estar operacionais no dia 1 de julho, distribuídos pelos centros de meios aéreos de Macedo de Cavaleiros, Loulé e Ferreira do Zêzere. Este último ficaria a cerca de 20 km de Vila de Rei, o incêndio que gera maior preocupação e mobiliza mais meios.

A TVI conseguiu apurar entretanto que uma das aeronaves vai ficar posicionada no centro de meios aéreos de Vila Real.