A contratação de cerca de mil funcionários para as escolas, anunciada em fevereiro pelo governo, só deverá estar concluída em outubro. Para os diretores, o reforço não deverá passar de uma regularização dos precários. 

Ao Jornal de Notícias, o presidente Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas (ANDAEP), Filinto Lima, explicou que as provas de conhecimento e avaliação psicológica estão a ser agendadas para setembro, por isso nenhum processo deve estar concluído antes de meados de outubro.

Desconheço que uma vaga já tenha sido preenchida", frisou o responsável. 

O Ministério da Educação admite que 60 escolas "ainda não iniciaram o procedimento para contratação". 

Já a Federação de Sindicatos de Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais admite avançar com protestos em caso de um mau arranque do ano letivo.