Nove pessoas morreram após o desmoronamento da Gruta do Itambé, perto de Altinópolis, no estado de São Paulo, no Brasil.

O número foi confirmado este domingo depois de ter sido declarado o fim das buscas após vários bombeiros terem ficado soterrados após o colapso da gruta.

Das vítimas, apenas é conhecido que duas são mulheres e uma é do sexo masculino. Ainda não foram revelados detalhes sobre a identidade das outras seis vítimas.

Do total de dez operacionais que ficaram soterrados, pelo menos um foi resgatado com vida até ao momento. Dois ainda permanecem desaparecidos.

Outras seis pessoas ficaram feridas e foram transportadas para o Hospital de Misericórdia de Altinópolis, mas já receberam alta.

Segundo a emissora Globo, as fortes chuvadas que têm caído na região nas últimas horas contribuíram para o desabamento do teto da gruta.

A irmã de uma das vítimas disse ao site G1 que o grupo se encontrava em exercícios de treino no local desde sábado, tendo inclusive passado a noite na caverna.

As operações de salvamento estão a ser dificultadas pelo difícil acesso à gruta e pela muita lama no local. De acordo com as autoridades, há risco de novos desabamentos.

As autoridades locais informaram que, para além das corporações de bombeiros da zona, elementos da Polícia Militar estão a trabalhar nas operações de socorro.

O Governo português já informou a representação diplomática do Brasil em Lisboa para manifestar solidariedade e preocupação com a situação vivida.

A Secretária de Estado da Administração Interna "transmitiu a certeza de que estão a ser empenhados todos os esforços nas operações de resgate dos bombeiros que ainda se encontram no interior da gruta e que continuará a acompanhar", informa nota do MAI.

Pedro Falardo Henrique Magalhães Claudino / ATUALIZADA ÀS 23:01