A Associação Zero denunciou a colocação de amianto no aterro da Triaza, na Azambuja, sem as devidas precauções, onde também são depositados resíduos orgânicos.


A população está preocupada com o perigo gerado pelas fibras de amianto libertadas na atmosfera, mas não sabe o que fazer. 
 

Por vezes, vem um cheiro nauseabundo. Há vários pássaros à volta do lixo", diz Carlos Costa, que mora na Azambuja há mais de 40 anos.

A Associação Zero fala em ilegalidade por parte do Governo.

O Ministério do Ambiente tem fechado os olhos a esta ilegalidade. E esperemos que, agora, isto se corrija para que, de uma vez por todas, não haja mistura de resíduos que produzem a libertação de fibras de amianto para a atmosfera", afirma Rui Berkemeier, engenheiro do ambiente da Associação Zero.

Em resposta à Zero, a Agência Portuguesa do Ambiente diz que as embalagens fechadas permitem o isolamento de resíduos com amianto. Mas, segundo a lei comunitária, o amianto devia ser colocado em células próprias antes de chegar aos aterros. 

Em Portugal, existem 10 aterros que podem receber resíduos perigosos, como o amianto. 
 

/ HCL