Dezasseis pessoas morreram na sexta-feira quando um barco com migrantes a bordo afundou no Mar Egeu, horas depois de um primeiro naufrágio ter vitimado 11 pessoas, de acordo com a guarda costeira grega.

Este é o terceiro incidente deste tipo desde quarta-feira.

A guarda costeira recuperou 16 corpos, incluindo 12 homens, três mulheres e uma criança, e conseguiu salvar 63 pessoas no barco que se afundou perto da ilha de Paros.

Algumas horas antes, 11 corpos foram recuperados depois de um barco com cerca de 100 migrantes a bordo ter afundado na quinta-feira numa ilhota no sul da Grécia.

Cerca de 90 sobreviventes, incluindo 52 homens, 11 mulheres e 27 crianças, foram resgatados na sexta-feira de manhã do ilhéu a norte da ilha grega de Antikythera, disse à agência noticiosa France-Press (AFP) um oficial da guarda costeira grega.

"As operações de busca e salvamento continuam porque ainda não é claro quantas pessoas estavam no barco antes de se afundar", acrescentou.

O naufrágio de quinta-feira acontece um dia depois de um bote que transportava migrantes ter virado ao largo da ilha de Folegandros, também no sul da Grécia, matando pelo menos três pessoas.

Treze pessoas - principalmente iraquianos, mas também sírios e egípcios - foram resgatadas, mas de acordo com as autoridades gregas faltam ainda dezenas de pessoas serem descobertas.

O ACNUR estima que mais de 2.500 pessoas morreram ou desapareceram no mar ao tentarem chegar à Europa entre janeiro e novembro.

/ AM