Uma relação como poucas. Na era das tecnologias e onde tudo parece tão efémero, um casal de norte-americanos mostrou ao mundo que o amor verdadeiro ainda existe, e que, afinal, é mesmo possível ser-se feliz para sempre. Frances e Herbert DeLaigle morreram no mesmo dia, com apenas 12 horas diferença. O casamento durava há 71 anos.

Herbert, de 94 anos morreu às 2:20 da passada sexta-feira. Apenas 12 horas depois, Frances viria a morrer também, aos 88 anos. O casal, que vivia no estado da Virgínia, nos Estados Unidos, já tinha chamado a atenção dos media norte-americanos em 2018, quando completou 70 anos de união. A WRDW entrevistou a dupla nesse ano, desvendando o começo de uma história de amor única, quando Herbert e Frances foram ao cinema juntos. Um ano depois surgiu a proposta:

“Perguntei-lhe se me queria ter como marido e ela disse que sim.”

Mas o casamento esteve quase para não acontecer. Herbert tinha o costume de chegar atrasado, como contou Frances. E nem no dia do próprio casamento chegou a horas. O padre esperou mais de uma hora pelo noivo, mas acabou por consumar a união.

Herbert conta que pagou apenas cinco dólares (pouco mais de quatro euros) pelo casamento: “Só tive de pagar isso por ela”.

A relação atravessou vários desafios e fronteiras. O casal viveu seis anos na Alemanha, período durante o qual o homem esteve ao serviço do Exército dos Estados Unidos, que voltaria a representar nas guerras com a Coreia e o Vietname.

Matthew Lorber, psiquiatra do hospital Lenox Hill, em Nova Iorque, disse à CNN que a mulher pode ter sofrido da síndrome de coração partido. "A síndrome do coração partido é real e ocorre quando alguém recebe muito más notícias, o que provoca stresse, provocando consequências na pressão arterial”, disse o médico.

É fantástico como estiveram juntos por 71 anos e agora estão juntos no céu. Que história de amor incrível”, disse a família à Newshub.

O amor do casal fica agora perpetuado pelos seis filhos, 16 netos, 25 bisnetos e três trinetos.