Bruno Pinheiro, treinador do Estoril, em declarações no Estádio 25 de Abril, após o empate sem golos frente ao Penafiel, em jogo da 31.ª jornada da II Liga:

«A estratégia nunca será dar a bola ao adversário. Não tivemos qualidade suficiente para sair a jogar. O espaço existia, mas ou segurávamos a bola quando devíamos e tornávamos a circulação lenta, ou porque havia um mau passe ou uma má receção, ou porque escolhíamos o lado errado para sair. Na primeira parte demos oxigénio ao adversário e perdemos confiança. Houve muito demérito nosso e algum mérito do adversário. 

Foram jogos diferentes. Contra o FC Porto B tínhamos obrigação de ganhar pela primeira parte que fizemos. Poderíamos estar a ganhar por 2-0 ou 3-0. Houve talvez um excesso de conforto. A equipa não é displicente, mas o adversário precisava muito de pontuar e fez dois golos em três minutos. Depois voltámos a tomar conta do jogo e fomos os únicos a ter oportunidades.

Contra nós o Casa Pia não quis ganhar. Tentou não perder, jogou no nosso erro e teve pouco futebol. Na segunda parte não teve muita posse de bola. Revi o jogo esta semana e tivemos 30 minutos de posse de bola, o que não é habitual. O adversário não saiu e não fomos competentes. Este jogo foi diferente. O Penafiel quis ganhar, pressionou, mas não conseguimos encontrar espaço. Não fomos tão competentes como tínhamos vindo a ser. 

Não há amargo de boca. Temos feito um campeonato muito bom e gostávamos que fosse excelente com as conquistas da subida e do título de campeão.»

Vítor Maia / Estádio 25 de Abril, Penafiel