Jonathan Agudelo é avançado e joga no Cúcuta FC, equipa colombiana. O seu nome saltou para as manchetes depois de ter marcado dois golos ao Rionegro, mas não por ter só marcado dois golos ao Rio Negro.

Expliquemos. Agudelo bisou e celebrou os golos levantando a camisola, de forma a mostrar a imagem do irmão, assassinado no início de maio. O problema é que a bonita homenagem valeu-lhe uma multa. 

A federação colombiana agarrou-se à frieza do regulamento e não encontrou atenuantes neste caso. O artigo 69 do código disciplinar pune o futebolista que tira a camisola nos festejos com uma multa «equivalente a dez salários mínimos mensais». 

O clube de Agudelo recorreu da punição, naturalmente. Enquanto não se conhece a decisão final, Jonathan continua a demonstrar publicamente o amor e a saudades sentidos pelo irmão Jorge, baleado em Medellin há dois meses. 

«Continuo a clamar pela tua presença. Os meus golos são os teus golos, as minhas vitórias são as tuas e sinto que cuidas de mim desde o céu», escreveu numa rede social.