A família de Nazanin Zaghari-Ratcliffe, cidadã de dupla nacionalidade britânica e iraniana, teme pela segurança da mulher, que está detida no Irão há mais de três anos. As autoridades prisionais do Irão decidiram mover Nazanin para uma enfermaria psiquiátrica, impedindo a mulher de contactar com a família. Nazanin ficou conhecida depois de fazer uma greve de fome que durou 15 dias. Foi detida, em 2016, por alegada espionagem contra o Estado iraniano, com base em factos que remontam a 2009.

A mulher, que tem residência em Inglaterra, foi detida em abril de 2016, quando estava no Irão para uma visita familiar. Estava com o marido e a filha e embarcavam no voo de regresso a Inglaterra, quando foi presa. O passaporte da filh, então com 22 meses e de nacionalidade britânica, foi confiscado. A menina ficou assim obrigada a permanecer no Irão, com os avós. 

Nazanin foi condenada a cinco anos de prisão, depois de ter participado em manifestações contra o regime. A pena viria a ser confirmada num recurso deferido em 2017.

Quem confirmou a notícia foi o marido, Richard Ratcliffe, que tem lutado pela libertação da esposa a partir de Inglaterra. O britânico afirma que a esposa foi movida da prisão onde estava, em Teerão, para uma instituição hospitalar, na segunda-feira. Richard Ratcliffe acrescenta que Nazanin está também impedida de estabelecer quaisquer contactos com a família. O pai da detida terá tentado visitar a filha no hospital, mas o acesso foi-lhe negado. Todas as informações são confirmadas pela campanha Free Nazanin.

Passaram 48 horas desde que tivemos contacto com ela”, disse Richard Ratcliffe à Sky News

Decorre em simultâneo uma petição que pede a libertação da mulher. As assinaturas já passaram os dois milhões de subscritores.

Também a irmã de Nazanin reagiu através das redes sociais, afirmando que “o Irão devia parar de jogar jogos com vidas inocentes”.

A mulher, que trabalha na fundação Thomson Reuters, está desde então indiciada por propaganda anti-regime, sendo impedida de aceder a um advogado. Richard Ratcliffe afirma ainda que Nazanin foi obrigada a assinar uma confissão. A única informação disponibilizada à família foi que se tratava de uma questão de segurança nacional. O marido de Nazanin chegou a protestar junto da embaixada do Irão no Reino Unido.

Apesar de estar detida desde 2016, a situação só tomou proporções mediáticas em junho deste ano, quando ambos os membros do casal decidiram avançar com uma greve de fome, que durou 15 dias.

As atenções viram-se agora para a política britânica. Richard Radcliffe já se encontrou com Jeremy Hunt, atual secretário de Estado para os Assuntos Estrangeiros e um dos candidatos a primeiro-ministro do Reino Unido.

Estamos à espera que, independentemente de quem for o primeiro-ministro, assuma responsabilidade pessoal para resolver o caso”, afirmou Richard Ratcliffe à Sky News.

A tensão política entre o Irão e o Reino Unido tem escalado nos últimos anos, sobretudo devido a uma ameaça nuclear por parte do país asiático. O Ministério dos Negócios Estrangeiros do Reino Unido avisa mesmo que cidadãos com dupla nacionalidade (iraniana e britânica) evitem viajar para o Irão. Recentemente, o ministro dos Negócios Estrangeiros do Irão, Abbas Mousavi, confirmou a tensão à agência iraniana IRNA: “Este é um jogo perigoso e o nosso conselho é que não se envolvam neste jogo sob influência americana”.

/ AG