Os Estados Unidos conduziram este domingo um ataque com um drone contra um veículo que continha "vários bombistas suicidas" do ISIS-K, o ramo afegão do Estado Islâmico. De acordo com as agências norte-americanas, os suspeitos estavam a caminho de um ataque na zona do aeroporto de Cabul.

Ao mesmo tempo, uma explosão foi ouvida este domingo à tarde em Cabul, segundo jornalistas da agência de notícias AFP, três dias depois de um ataque no aeroporto da capital afegã, onde vários países estão a concluir as suas operações de retirada.

A informação foi, entretanto, confirmada pelo ministério da saúde afegão à BBC, que adianta ter havido uma "forte explosão" provocada por um rocket que atingiu um edifício residencial perto do Aeroporto.

De acordo com a agência de notícias Associated Press (AP), um responsável da polícia afegã declarou que um rocket atingiu um bairro a noroeste do aeroporto internacional de Cabul e provocou a morte de cinco pessoas, entre elas três crianças.

Não existem ainda dados suficientes que permitam aferir se os dois casos estão ligados, ainda que os talibãs tenham descrevido estes como dois incidentes separados.

De recordar que os Estados Unidos voltaram a alertar este domingo para uma ameaça "precisa e credível" nos arredores do aeroporto de Cabul e pediram aos cidadãos norte-americanos para saírem da zona.

Devido a uma ameaça precisa e credível, todos os cidadãos norte-americanos que se encontrem nos arredores do aeroporto de Cabul (...) devem sair da zona rapidamente", anunciou a Embaixada dos EUA em Cabul, numa mensagem de alerta, dois dias depois de um atentado que fez mais de 100 mortos no mesmo local.

A ameaça abrange especificamente "o acesso sul, o novo Ministério do Interior e o acesso perto do posto de combustível Panshir a noroeste do aeroporto", de acordo com o mesmo comunicado.

Rafaela Laja