Roger Ailes, antigo presidente e fundador da Fox News, morreu esta quinta-feira, aos 77 anos. A mulher de Roger Ailes disse estar “profundamente triste e de coração partido”, considerando o seu marido como “um patriota”.

“Estou profundamente triste, e de coração partido, ao relatar que o meu marido, Roger Ailes, faleceu esta manhã. O Roger era um marido amoroso, para mim e para o seu filho Zachary, e um bom amigo para muitos”, afirmou Elizabeth Ailes, em declarações à agência de notícias Drudge Reports.

“Ele também era um patriota, e estava profundamente grato por viver num país que lhe deu tantas oportunidades de trabalho que lhe permitiu crescer. Durante uma carreira que se estendeu por mais de cinco décadas, o seu trabalho na área do entretenimento, da política e da informação, afetou a vida de muitos milhões. E apesar de chorarmos a sua morte, celebramos sobretudo a sua vida", acrescentou.

Desde que a Fox News foi lançada, em 1996, que Roger Ailes esteve à frente do influente canal norte-americano de notícias. No entanto, em 2016, depois de umas polémicas que envolveram denúncias de abuso sexual, Ailes acabou por se demitir da administração do canal. Gretchen Carlson, comentadora e autora de programas televisivos, alegou, numa ação judicial, que Roger Ailes a demitiu depois de se recusar a ter relações sexuais com ele. Ailes negou todas as acusações e Carlson recebeu 40 milhões de dólares de indemnização pelo despedimento.

Apesar dos escândalos, provavelmente, nenhuma figura contemporânea moldou os media norte-americanos e a política tão profundamente como ele o fez.

Roger Ailes conseguiu transformar a Fox News no canal por cabo de notícias mais visto nos Estados Unidos e a sua saída abrupta da Fox News, em julho de 2016, após duas décadas de liderança, marcou o fim de uma era para o canal televisivo, que tem estado sobre tumulto desde então.

Antes de fundar a Fox News, que pertence à Century Fox, Roger Ailes foi conselheiro de diversos presidentes norte-americanos, como Richard Nixon, Ronald Reagan ou George Bush. Recentemente, ajudou o atual Presidente dos EUA, Donald Trump, a preparar-se para os debates televisivos durante o período de campanha eleitoral.

À frente do canal televisivo, tornou-se uma das vozes mais influentes da direita conservadora norte-americana.