Os protestos que ocorreram na Venezuela na terça-feira fizeram pelo menos um morto e mais de 100 feridos, segundo um balanço divulgado pela organização não governamental venezuelana Provea.

A Provea identificou a vítima mortal como sendo um jovem de 24 anos, que morreu em protestos no estado de Aragua.

De acordo com a organização, já morreram 54 pessoas em manifestações na Venezuela este ano e 271 desde que Nicolás Maduro chegou ao poder.

A organização também informou que os protestos desta terça-feira, convocados pelo autoproclamado presidente interino, Juan Guiadó, fizeram 109 feridos, 60 só na capital, Caracas.  

clima de tensão está em crescendo na Venezuela depois de Juan Guaidó ter desencadeado na madrugada de terça-feira um ato de força contra o regime de Nicolás Maduro em que envolveu militares e para o qual apelou à adesão popular.

Milhares de venezuelanos cortaram as ruas de Caracas para mostrar apoio ao autoproclamado presidente internino e imagens televisivas mostraram carros militares a avançar sobre a multidão. Foram também já ouvidos disparos.

O regime ripostou considerando que estava em curso uma tentativa de golpe de Estado e Nicolás Maduro apelou às Forças Armadas Bolivarianas para que mantenham "lealdade absoluta" ao seu governo.

Por sua vez, Juan Guaidó, insistiu que o chefe de Estado da Venezuela não tem "o apoio nem o respeito" das Forças Armadas e apelou ao povo para voltar às ruas esta quarta-feira para uma "rebelião pacífica”.