Nas últimas 24 horas a Índia registou mais de 400 mil casos de covid-19, um novo recorde mundial de contágios, além de 3.523 mortes, anunciaram as autoridades indianas.

O país de 1,3 mil milhões de habitantes está a braços com um surto devastador, com novos máximos diários de infetados e mortos há vários dias.

As autoridades sanitárias diagnosticaram mais 401.993 novos casos, ultrapassando pela primeira vez as 400 mil infeções diárias, um recorde mundial desde que o SARS-CoV-2 foi identificado na China, em dezembro de 2019.

Na terça-feira, em declarações à Lusa, o professor de Física e Biologia Gautam Menon, especialista em modelos de previsão da pandemia, já antecipara que o número de casos na Índia deveria "chegar aos 400 a 500 mil" por dia, antes de o país atingir o pico da segunda vaga.

A maioria dos modelos sugere que os casos vão continuar a aumentar e que o pico será provavelmente em meados de maio", disse então o professor da Universidade Ashoka, que trabalha com vários governos de estados indianos para fornecer modelos matemáticos de previsão da evolução da doença, de forma a antecipar o número de infeções de covid-19 e de admissões hospitalares.

Só no mês de abril, o país contabilizou mais de 6,9 milhões de infeções, contando atualmente mais de 3,2 milhões de casos ativos, segundo o Ministério da Saúde indiano.

A explosão do número de casos, atribuída a uma variante do vírus detetada na Índia, além de comícios eleitorais e festivais religiosos em grande escala, sobrecarregou os hospitais, onde faltam camas, medicamentos e oxigénio.

O país alarga a partir de hoje a todos os adultos a vacinação, mas a maioria dos estados indianos poderá não ter vacinas suficientes para iniciar a nova fase da inoculação, incluindo Maharashtra e Nova Deli, entre os mais afetados pela segunda vaga.

Goa, onde os hospitais se debatem com a falta de camas, é um dos estados obrigados a adiar o arranque da nova fase, devido à escassez de vacinas, com o governo daquele estado indiano a pedir aos cidadãos que "não corram para os centros de vacinação no dia 1 de maio".

"Apesar de o governo de Goa ter encomendado 500.000 doses de vacinas [contra] a covid-19 para o grupo etário dos 18-45 anos, a vacinação começará quando o estado receber as doses do fabricante", avisou na sexta-feira o chefe do executivo, Pramod Sawant, na rede social Twitter.

A Índia administrou até agora cerca de 154 milhões de vacinas contra a covid-19.

Desde o início da pandemia, a Índia acumulou 211.853 óbitos e mais de 19,1 milhões de infeções, sendo o segundo país do mundo com mais casos, atrás dos Estados Unidos, e o quarto com mais óbitos, depois de EUA, Brasil e México.

/ CM