O Irão anunciou que atacou com mísseis um campo de terroristas na Síria, como retaliação ao ataque a um desfile militar na cidade de Ahvaz, no sudoeste do Irão, provocando 25 mortos no dia 22 de setembro.

“A sede dos terroristas foi atacada a leste do rio Eufrates por vários mísseis balísticos disparados pelo ramo aeroespacial dos Guardiões da Revolução”, anunciou o exército de elite iraniano, na sua página oficial na internet.

De acordo com a agência estatal de notícias Irna, os ataques "mataram e feriram" militantes na Síria, sem dar mais detalhes.

Teerão identificou como responsáveis do ataque grupos separatistas takfiri (radicais sunitas), argumentando que são "patrocinados por países reacionários árabes", como a Arábia Saudita ou os Emirados Árabes Unidos, aliados dos Estados Unidos.

O Irão prometeu ao povo que "punirá os grupos terroristas e suas entidades afiliadas em qualquer lugar da região e do mundo".