A presidente da Comissão Europeia anunciou esta segunda-feira que 60% dos adultos da UE finalizaram o processo de vacinação contra a covid-19.

A notícia foi apresentada por Ursula Von der Leyen no Twitter, que sublinhou que a vacinação plena "protege-nos contra a covid-19 e as suas variantes".

 

 

Vamos manter-nos vigilantes. Vamos vacinar-nos. Pela nossa saúde e para proteger os outros", destacou Von der Leyen.

A meta foi atingida num momento em que pelo menos 70% dos adultos já foram vacinados com a primeira dose da vacina, um "marco importante", declarado pela comissária europeia da Saúde, Stella Kyriakides no final de julho.

Hoje, atingimos um marco importante, tendo 70% da população adulta da UE recebido uma primeira dose de uma vacina anticovid-19. É um momento de que a UE se pode orgulhar coletivamente”, anunciou, na altura, a comissária.

Em Portugal, de acordo com os dados do Ministério da Saúde, as autoridades administraram um total de 12,043 milhões de vacinas. Pelo menos 52% dos portugueses já completaram a vacinação contra a covid-19.

Atualmente, estão aprovadas quatro vacinas pelo regulador da UE: a Comirnaty (nome comercial da vacina Pfizer/BioNTech), Spikevax (nome comercial da vacina da Moderna), Vaxzevria (novo nome do fármaco da AstraZeneca) e Janssen (grupo Johnson & Johnson).

Além dos atrasos na entrega das vacinas e em quantidades aquém das contratualizadas por parte da farmacêutica anglo-sueca AstraZeneca, a campanha de vacinação da UE tem sido marcada por casos raros de efeitos secundários como coágulos sanguíneos após toma deste fármaco, relação confirmada pelo regulador europeu, como também aconteceu com a vacina da norte-americana Johnson & Johnson.