O Presidente norte-americano, Joe Biden, e o príncipe Harry juntaram-se a estrelas da música pop num concerto solidário para apelar à vacinação global e generalizada contra a covid-19.

Várias celebridades e líderes políticos reuniram-se no domingo à noite para falar sobre a importância da equidade das vacinas no “Vax Live: The Concert to Reunite the World” (Vax ao Vivo: O Concerto para Unir o Mundo, em tradução livre), organizado pela Global Citizen, no Estádio SoFi em Inglewood, na Califórnia.

O evento de angariação de fundos será transmitido no dia 08 de maio nas estações ABC, ABC News Live, CBS, iHeartMedia e no YouTube.

O Presidente norte-americano, Joe Biden, esteve entre várias personalidades que defenderam a vacinação em massa.

As vacinas são seguras. Prometo-vos. Elas funcionam”, assegurou Joe Biden, que foi acompanhado numa mensagem de vídeo com a primeira-dama Jill Biden.

Estamos a trabalhar com líderes de todo o mundo para partilhar mais vacinas e aumentar a produção, para garantir que todos os países tenham as vacinas de que necessitam'', acrescentou o presidente norte-americano.

O príncipe Harry afirmou que é imperativo fornecer vacinas para o mundo inteiro, principalmente aos países mais pobres.

O duque de Sussex também se manifestou solidário com a Índia, que enfrenta uma segunda vaga de "devastação" do vírus.

O príncipe Harry e a mulher, Meghan Markle, lideram uma campanha para angariar fundos para o programa de partilha de vacinas Covax, que visa para distribuir vacinas contra a covid-19 às nações desfavorecidas.

Não podemos descansar ou recuperar verdadeiramente até haver uma distribuição justa em todos os cantos do mundo", reiterou o duque de Sussex.

"O vírus não respeita fronteiras e o acesso à vacina não pode ser determinado pela geografia", concluiu.

O evento também destacou os esforços dos trabalhadores essenciais e da linha da frente durante a pandemia, com a apresentadora do evento, Selena Gomez, a elogiá-los como "corajosos" e "confiáveis".

A cantora norte-americana apelou ainda à necessidade de vacinação “o mais depressa possível”.

O evento contou com atuações musicais de Jennifer Lopez, Eddie Vedder, Foo Fighters, J Balvin e H.E.R e com participações especiais dos atores Ben Affleck e Sean Penn, da modelo Chrissy Teigen e dos apresentadores Jimmy Kimmel e David Letterman.

Todos os artistas e convidados especiais partilharam mensagens de incentivo ao combate da pandemia do novo coronavírus e de apoio à música e à cultura.

A audiência foi totalmente vacinada e os meios de comunicação social, assim como o pessoal da produção, precisavam de mostrar um teste negativo à covid-19 antes de entrarem no recinto.

A Global Citizen disse que 53,8 milhões de dólares em compromissos filantrópicos e empresariais ajudaram a obter quase 10,3 milhões de doses, excedendo o objetivo da campanha ‘Vax Live’.

Hugh Evans, fundador e diretor executivo da Global Citizen, disse que quer aproveitar a mobilização iniciada com o concerto.

“O que estávamos a tentar realçar era o óbvio: Que devemos lutar pela equidade”, afirmou Evans. “É algo que não deveria requerer aritmética. É absolutamente óbvio”.

/ HCL