Ao contrário de outros países, as Maldivas estão a receber de braços abertos muitos indianos ricos que, por esta altura, 'fogem' do seu país - fortemente atingido pela pandemia de covid-19 - para procurar algum refúgio e segurança.

O arquipélago de mais de mil ilhas e águas cristalinas do Oceano Índico reabriu os seus aeroportos aos estrangeiros em julho do ano passado, após três meses fechados.

Esta semana, e ao contrário de muitos países que estão a barrar a entrada a viajantes provenientes da Índia, o governo das Maldivas apenas introduziu algumas alterações nas regras para estes visitantes.

Neste momento, os viajantes que chegam da Índia podem ficar em hotéis ou barcos, mas não podem instalar-se em muitos dos empreendimentos turísticos das ilhas, nomeadamente naqueles onde moram alguns trabalhadores locais.

A localização geográfica de nossas ilhas ajuda-nos a minimizar o risco (de contágio)", disse à AFP Thoyyib Mohamed, diretora do turismo das Maldivas. 

 

Cada pequena ilha tem um resort único e independente. Mesmo que tenhamos alguns casos, podemos contê-los dentro dos resorts sem expor a população local", explicou.

Thoyyib afirmou que o país já iniciou a campanha de vacinação dos 50.000 trabalhadores do setor turístico e das pessoas que trabalham em serviços vinculados à hotelaria.

Queremos ser o primeiro setor de turismo totalmente vacinado do mundo", disse Thoyyib.

Lara Ferin