No Japão, atividades como varrer o chão, limpar as casas de banho e servir o almoço fazem parte da rotina escolar dos estudantes. 

O objetivo, explicou o professor japonês Toshinori Saito, em declarações à BBC, é que os alunos não estudem "apenas as matérias programadas", mas que aprendam também a "cuidar do que é público" e a serem "cidadãos mais conscientes". 

No que diz respeito, por exemplo, às refeições, são os alunos que organizam tudo e servem os colegas. A refeição é feita nas salas de aula, não havendo refeitórios.

No fim do dia, os alunos são divididos em grupos que têm como tarefas lavar a loiça usada nas refeições e limpar as salas de aula, os corredores, as escadas e as casas de banho, sempre com a coordenação dos professores.

Também ajudei a cuidar da escola, assim como meus pais e avós, e sentimo-nos felizes ao receber a tarefa, porque estamos a ganhar uma responsabilidade", disse o professor Saito.

Em declarações à BBC, Michie Afuso, presidente da ABC Japan, uma organização sem fins lucrativos que ajuda na integração de alunos estrangeiros e japoneses, afirmou ainda que a obrigação faz com que as crianças entendam a importância de se limpar o que se sujou.

Em julho do ano passado, durante o Mundial de futebol na Rússia, os adeptos chineses foram notícia por terem deixado sempre as bancadas no fim dos jogos. 

Para Michie Afuso, isso é reflexo da importância dos alunos terem tarefas de limpeza nas escolas. 

Isso mostra o nível de organização do povo japonês, que aprende desde pequeno a cuidar de um patrimônio público que será útil para as próximas gerações", defendeu.

O diretor da ABC Japan referiu ainda que este método de ensino pode parecer rígido para os outros países, mas Michie Afuso garante que "a educação é um assunto levado muito à sério pelos japoneses".