Um total de 19 caças chineses entraram sábado à noite na Zona de Identificação da Defesa Aérea (ADIZ) de Taiwan, denunciou o ministério da Defesa.

Segundo o ministério, os aviões entraram na ADIZ a partir do sudoeste e, depois de terem sido avisados por Taiwan para darem seguimento e se retirarem, deram meia volta e abandonaram a zona

No sábado, o ministério da Defesa da ilha disse numa declaração que um total de 38 aviões chineses tinham entrado na ADIZ de Taiwan na sexta-feira, 1 de outubro, o dia em que Pequim celebrou o aniversário da proclamação da República Popular da China.

Entre os 38 aviões encontrava-se um H-6, capaz de transportar bombas nucleares.

O número de aviões militares chineses a voar para a ADIZ de Taiwan aumentou nos últimos meses, de acordo com as autoridades da ilha.

A 24 de setembro, Taiwan alegou que 24 caças chineses realizaram incursões semelhantes às de sábado pouco depois de Taiwan se ter candidatado a aderir ao Acordo Global e Progressivo para a Parceria Trans-Pacífico (CPTPP), ao qual Pequim "categoricamente" se opõe.

A China reivindica a soberania sobre Taiwan, para onde os nacionalistas chineses se retiraram após a sua derrota na Guerra Civil chinesa.

Agência Lusa / CM