O número de mortos provocados pelo novo coronavírus subiu esta sexta-feira para 717, com 34.002 pessoas infetadas, anunciaram as autoridades chinesas.

Desde o último balanço, na quinta-feira, registaram-se mais 81 mortes e 2841 casos de infeção no surto que começou na cidade de Wuhan, na província central de Hubei.

Foram detetadas novas infeções no Reino Unido, Alemanha e Itália, subindo assim o número de casos na Europa para 31.

O médico chinês que deu o primeiro alerta sobre o surto do novo coronavírus morreu na quinta-feira, depois de ter contraído pneumonia na semana passada, anunciou o hospital onde estava internado.

O oftalmologista Li Wenliang, de 34 anos, foi "infelizmente contaminado durante o combate à epidemia de pneumonia do novo coronavírus", afirmou, na sua conta na rede social Facebook, o hospital central de Wuhan.

A primeira pessoa a morrer por causa do novo coronavírus fora da China foi um cidadão chinês nas Filipinas.

Além do território continental da China e das regiões chinesas de Macau e Hong Kong, há outros casos de infeção confirmados em mais de 20 países.

A Organização Mundial de Saúde declarou em 30 de janeiro uma situação de emergência de saúde pública de âmbito internacional, o que pressupõe a adoção de medidas de prevenção e coordenação à escala mundial.

/ HCL